segunda-feira, 2 de junho de 2008

Saiba mais de hoje: Lâmpadas Fluorescêntes

Atendendo à pedidos da galera que visitou o estande da ONG PUERAS no Viva a Mata 2008.

As lâmpadas de descarga contêm o MERCÚRIO METÁLICO, substância tóxica nociva ao ser humano e ao meio ambiente. Ainda que o impacto sobre o meio ambiente causado por uma única lâmpada seja desprezível, o somatório das lâmpadas descartadas anualmente (cerca de 70 milhões só no Brasil) terá efeito sensível sobre os locais onde são dispostas. Países do Primeiro Mundo incluem as lâmpadas fluorescentes usadas na lista de resíduos nocivos ao meio-ambiente, pois essas lâmpadas contêm substâncias químicas que afetam o ser humano, como o Mercúrio, um metal pesado que uma vez ingerido ou inalado, causa efeitos desastrosos ao sistema nervoso. Antes ela era usada quase que exclusivamente em salas comerciais como escritórios e lojas. Hoje, a lâmpada fluorescente também ganhou espaço nas residências do país. O motivo é a economia. A iluminação é responsável por até 15% da conta de luz. A fluorescente pode diminuir esse gasto em até 85%. Além disso, ela dura 12 mil horas contra mil horas da lâmpada de filamento comum. Mas a exposição excessiva à lâmpada fluorescente, que contém metais perigosos, pode prejudicar a pele. “O grande problema é que algumas emitem junto com a luz visível uma quantidade variável de ultravioleta. A radiação do ultravioleta A e B já se sabe que é indutora de câncer de pele” Porque descontaminar?

Enquanto intacta a lâmpada não oferece risco. Entretanto ao ser rompida liberará vapor de mercúrio que será aspirado por quem a manuseia. A contaminação do organismo se dá principalmente através dos pulmões. Quando se rompe uma lâmpada fluorescente o mercúrio existente em seu interior se libera sob a forma de vapor, por um período de tempo variável em função da temperatura e que pode se estender por várias semanas. Além das lâmpadas fluorescentes também contêm mercúrio as lâmpadas de vapor de mercúrio propriamente ditas, as de vapor de sódio e as de luz mista. Se forem lançadas diretamente em aterros, as lâmpadas contaminam o solo e, mais tarde, os cursos d’água, chegando à cadeia alimentar. Ao romper-se, quando descartada inadequadamente no meio ambiente, uma lâmpada fluorescente emite vapores de mercúrio que são absorvidos pelos organismos vivos, contaminando-os; se forem lançadas em aterro as lâmpadas contaminam o solo e, mais tarde, os cursos d’agua, chegando à cadeia alimentar. No Brasil, muitos usuários dessas lâmpadas, conscientes do fato e já alertados pela norma brasileira NBR 10004 que impõe limites rigorosos à presença de mercúrio nos resíduos sólidos, já estão evitando mais essa contaminação do meio ambiente. A busca de uma solução integrada para um problema ambiental, antecipando-se à criação de leis específicas sobre a matéria, incorpora uma outra vantagem: todo o sistema já implantado, testado e em plena operação poderá servir de paradigma para as iniciativas legais e normativas que venham a ser tomadas pelos órgãos disciplinadores da política ambiental. Resoluções normativas que venham a ser exaradas sobra a destinação das lâmpadas usadas poderão adotar, como base, procedimentos já comprovados e testados, compatíveis com a realidade brasileira. *E agora? quer dar o destino correto para as suas lâmpadas fluorescêntes mas não sabe o que fazer? -Então clique no link abaixo e vá agora mesmo até o site da APLIQUIM e saiba tudo! fonte: APLIQUIM - TECNOLOGIA AMBIENTAL

2 comentários:

Giselle Vergna disse...

Gente...pode comentar, criticar, dar opinião, tirar dúvidas.

Estamos aqui para isso, multiplicar nosso conhecimento!

Anônimo disse...

Prezados,
procuro conhecimento para investir em reciclagens e outros, sou carioca, estou no interior do Pará, aqui o sinal é baixo uma página de internet pode demorar horas p abrir, solicito que atenção p trocar idéias por e-mail ( r.guerrieri@hotmail.com ) , quero me manter aqui sem criar mais uma empresa poluidora. Já fiz reflorestamento, mas após o término da área a empresa não teve mais capital p investir, a populção local está encaminhada a proteção ambiental, mas a falta de investimento obrigará a todos a cortar árvores p se manter, por favor, retorne o máximo de informação possível, obrigado.

Ricardo Guerrieri


contador gratuito de visitas