quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Coleção de Utilidades...

Para este post, separei três produções super fáceis de fazer, para reaproveitar materiais que normalmente (infelizmente) todo mundo joga no lixo.

Todas podem ser feitas com a companhia da criançada. Então...quando seus filhos saem de férias, ou mesmo quando sobra algum tempo livre, e você não sabe o que fazer para entretê-los; aí vão dicas divertidas e que com certeza farão sucesso com os pequenos!

1º - Peixinhos para decorar paredes, feitos com pratinhos de bolo usados na festa.

Materiais:

- Tesoura sem ponta

- Tinta acrílica para aplicação em plástico, em cores sortidas. Lembre-se que quanto mais colorido, mais divertido fica.

- Marcador tinta permanente preta, ou vermelha. (aquelas canetas que usamos para escrever em CD's)

- Agora ponha a criatividade para funcionar!

2º - Jogo da memória.

Materiais:

- Tampinhas de garrafa pet. (procure selecionar todas da mesma cor para o jogo funcionar).

- Papel para desenhar as figuras. (você pode tentar reaproveitar impressos do seu trabalho e que você não usa mais, e recortar os espaços em branco, ou mesmo, usar o verso em branco das impressões).

- Lápis de cor ou caneta hidrográfica de cores sortidas.

- Tesoura sem ponta para recortar as figurinhas do tamanho da tampinha.

- Cola à base de água.

- Agora, coloque os pentelhos para desenhar pares de figuras iguais.


3º - Marcador de páginas.

Materiais:

- Folhas de jornal ou revistas ou até aquela sua agenda de mil novecentos e bolinha. (fica por sua conta escolher o material a ser usado).

- Tesoura sem ponta

- Cola à base de água

- Fitas de cetim ou à sua escolha, mas que tenham no máximo 2 milímetros de largura. A largura da fita vai depender do tamanho do seu marcador de páginas.

- Lembre-se que se você fizer com apenas uma camada, o marcador vai ficar mole e amassar com facilidade, então use pelo menos cinco recortes para que o marcador fique firme e o marcador funcione.

- Recorte uma figura que você escolher para usar como molde (na imagem usamos uma flor).

- Em seguida, cole cinco folhas, uma na outra, passando cola por toda a folha e espere a cola secar.

- Agora é só pegar o molde, desenhar nas folha coladas, recortar e aplicar a fita, deixando um "rabinho" de dez centímetros mais ou menos, para que; quando você colocar na página que você quer marcar, o rabinho fique para fora do livro.

- Dependendo do tamanho que você escolher, uma colagem de cinco folhas dará para fazer mais de um marcador.



Lembrem-se de tentar reaproveitar o máximo de materiais possível!

DIVIRTAM-SE!

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Bitucas de cigarro podem ser recicladas.

Olá, caros leitores e recicladores!

Depois de algum tempo sem atualizar o blog, venho trazer uma novidade sensacional. 

ONG coleta bitucas em cinzeiros e as transforma em papel com a ajuda de cooperativas
 
 
Depois do papel feito com sementes, que pode ser picado e plantado, o Instituto Papel Solidário bolou uma nova forma de reciclagem: folhas feitas de bitucas de cigarro. Em parceria com empresas, cooperativas e com o Movimento Nacional de Catadores, a ONG coleta matéria-prima em cinzeiros e calçadas sujas. O projeto piloto, batizado de Rede Papel Bituca, começou em Pinheiros, zona oeste de São Paulo. A ONG quer chegar a 2.500 pontos de coleta.

 
Papa-Bituca
A coleta do lixo é feita com o equipamento batizado de Papa-Bituca, uma espécie de cinzeiro que armazena até 5 mil unidades e facilita o trabalho dos catadores de lixo reciclado. Diversos modelos foram instalados em lojas, bares e restaurantes da zona oeste de São Paulo.

 

Cooperativas
Após a etapa da coleta, todo o material é levado para cooperativas ou ONGs envolvidas no processo de produção do papel bituca. A entidade treinou trabalhadores de comunidades para reciclar as bitucas. Com essa inclusão, o projeto ajuda a gerar renda para esses grupos.

Sem nicotina
Nas cooperativas, a bituca passa por um processo químico de limpeza e esterilização. É quando se separa a parte reciclável (a fibra de celulose e o papel) do fumo ainda presente no material. Também são eliminados o alcatrão e a nicotina, que alteram a cor das fibras celulósicas.
 
 
Na papelaria
O resultado desse processo é uma massa de celulose que, esticada sobre telas e após secagem ao sol, se transforma numa grande folha de papel. Ela serve de matéria-prima para produtos como descansos de copo, brindes ecológicos e toalhas descartáveis.

fonte: http://www.estadao.com.br/

sexta-feira, 15 de abril de 2011

A cabalística promessa de 522 km de ciclovias para 2012 em São Paulo

Chico Macena
vereador de São Paulo pelo PT

  
Que na cidade de São Paulo não faltam promessas e estudos de ciclovias ninguém duvida. Que de uns tempos para cá a palavra “ciclovia” vem sendo repetida como um mantra por projetistas, urbanistas, arquitetos, secretários e até pelo prefeito, isso também ninguém duvida. Mas dizer que a cidade tem, de forma documentada, no mínimo, 522 km de ciclovias  projetadas para aparecerem como mágica em 2012...sim, se eu não
soubesse,  nem eu acreditaria.

O Planos Regionais Estratégicos das 31 subprefeituras têm juntos, 367 km de ciclovias ou ciclorotas planejados no Plano Diretor Estratégico para serem todos entregues em 2012.

O Plano de Ciclovias anunciado pela Secretaria Municipal de Transporte em 2009,  beneficiará os bairros Grajaú, Jardim Brasil e Jardim Helena, com o total de 55 km,  inicialmente prometidos para 2010, foi  replanejado para o fim de 2012.

O Plano de Metas /Agenda 2012, embora Eduardo Jorge tenha afirmado que sua meta era de 1000 km de ciclovias até 2020, ele anunciou em 2008, 100 km de ciclovias para 2009, logo depois,  anunciou os mesmos 100 km, com algumas alterações de locais, entraram para o Plano de Metas /Agenda 2012 do município, prometido para tudo ser entregue, adivinha quando?  Isso mesmo, 2012.

Coincidência? Existe uma força oculta trabalhando nos bastidores para  surpreender a população e ao acordarmos em 2013 termos a disposição 522 km de ciclovias na cidade? As profecias que aparecem em todos os planos e projetos para bicicleta vão mesmo se realizar? 2012 é o ano da bike?

Ciclista, vá tomar banho de chuva, porque o banho de água fria que vamos tomar do planejamento cicloviário da cidade é mais gelado.

Todo o ano escrevo artigos e falo a mesma coisa, o executivo não faz previsões no orçamento da cidade de valores suficientes para execução destes projetos. Ano após ano, os projetos vão se acumulando, as reivindicações aumentando,  mas na hora de empenhar os fundos no orçamento da cidade para a bicicleta, o dinheiro não aparece.

Eu sempre ouço, “mas bilhões para o túnel da Roberto Marinho tem, milhões para pontes “estragadas” tem,  incentivos para indústria imobiliária tem,  milhões para os automóveis tem...” e por aí vai. Mas
não é somente a bicicleta que é prejudicada nessa falta de empenho com a qualidade de vida, pedestres e o transporte público também é deixado de lado, mas isso é pano para outra manga.

Até quando viveremos de esperança, promessas e ocultismo das ações ?

www.chicomacena.com.br

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Tirando o veneno dos cosméticos

via: Planeta Sustentável

EUA atualizam legislação do setor

Pela primeira vez em 70 anos, o Congresso americano poderá fechar brechas importantes em uma lei federal. Ela permite que substâncias químicas ligadas a câncer, doenças em bebês e fetos, dificuldade de aprendizado e outros males, sejam usados nos produtos que usamos em nossos corpos todos os dias.

Na semana passada, três deputados democratas apresentaram ao Congresso a Lei dos Cosméticos Seguros de 2010, que dá à FDA (órgão federal que regula alimentos e drogas) autoridade para garantir que produtos de uso pessoal fiquem livres de substâncias perigosas. A legislação anterior, de 1938, deixa nas mãos dos fabricantes a decisão sobre quais substâncias podiam ser usadas na indústria de cosméticos.

“Substâncias daninhas não têm lugar em produtos que colocamos em nossos corpos e de nossas crianças", disse o deputado Jan Schakowsky. “Nossas leis de cosméticos estão miseravelmente datadas, e não se pede aos fabricantes ao menos que revelem todas as substâncias nos rótulos, deixando cidadãos sem informação e expostos ao perigo. Esta lei vai finalmente proteger os consumidores".

De acordo com a Campanha Pelos Cosméticos Seguros, americanos usam em média 10 produtos de uso pessoal por dia, o que resulta na exposição a mais de 126 substâncias químicas únicas - sem contar as muitas substâncias não reveladas das chamadas "fragâncias".

“A indústria de cosméticos diz que as quantidades de substâncias potencialmente tóxicas em seus produtos são tão pequenas que não implicam em risco, mas sabemos que algumas delas podem ter grandes efeitos, mesmo em pequenas dosagens", afirma Maryann Donovan, doutora em exposição ambiental e efeitos biológicos do Centro de Oncologia Ambiental da Universidade de Pittsburgh . “Precisamos entender melhor os efeitos de curto e longo prazo para a saúde resultantes de pequenas doses de substâncias tóxicas, exposições diárias, exposição durante a gestação e no desenvolvimento infantil", diz ela, segundo o Sustainable Business.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Bolha alimentar prestes a explodir!


Lester Brown, fundador do Worldwatch Institute e do Earth Policy Institute , adverte que o mundo corre perigo com a segurança alimentar. Em seu livro mais recente, O Mundo na Beirada (World on Edge), ele fala que o planeta está à beira de aumentos de preços de alimentos politicamente desastabilizadores.

"A nova realidade é que estamos a apenas uma colheita ruim do caos", Brown disse  em uma coletiva à imprensa para o lançamento do livro. "Se uma onda de calor como a da Rússia atingir os Estados Unidos - de longe o maior exportador de grãos -, isto precipitará o caos nos mercados de grãos. O mundo está criando uma bolha alimentar que, teoricamente, pode explodir a qualquer momento".
"Estamos assistindo conflitos e manifestações como as do Oriente Médio. O impacto é particularmente duro em países que são importadores de alimentos, como os da região. Países como China e Arábia Saudita estão alugando a longo prazo grandes áreas de terra na África para produção de alimentos, porque sabem que depois do aumento de preços vem a desestabilização política", afirmou ele. 

O Worldwatch Institute, baseado em Washington, fez no mês passado uma advertência de que, se continuarem tendências observadas atualmente,  eventos extremos do clima, caso da onda de calor na Rússia - que destruiu 40% de sua colheita de grãos - irão ocorrer com maior frequência, com efeitos sentidos em todo mundo, especialmente nas regiões mais pobres.  "As fronteiras desta crise estão ocupadas pelas 925 milhões de pessoas subnutridas do planeta", disse o instituto em seu relatório anual, O Estado do Mundo, segundo o Celsias.

fonte: Planeta Sustentável

quarta-feira, 23 de março de 2011

Hora do Planeta 2011


O que é?

A Hora do Planeta é um ato simbólico, promovido no mundo todo pela Rede WWF, no qual governos, empresas e a população demonstram a sua preocupação com o aquecimento global, apagando as suas luzes durante sessenta minutos.

Quando?

Sábado, dia 26 de março, das 20h30 às 21h30. Apague as luzes para ver um mundo melhor. Hora do Planeta 2011.

Onde?

No mundo todo e na sua cidade, empresa, casa... Em 2010, mais de um bilhão de pessoas em 4616 cidades, em 128 países, apagaram as luzes durante a Hora do Planeta. Em 2011, a mobilização será ainda maior.

Veja video oficial da campanha Hora do Planeta 2011


terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

EMBALAGENS SUSTENTÁVEIS: Brasil e Alemanha trabalham em mais uma parceria estratégica

O mercado de embalagens sustentáveis produzidas com a utilização de recursos renováveis tem registrado atualmente um alto índice de crescimento. Estima-se que expansão desse mercado será de 50% até 2014, o que significaria um aumento de 32% em comparação aos dados de 2009. A indústria de alimentos, em particular, tem uma grande demanda por esses sistemas de embalagem.

Instituções de pesquisa europeias e brasileiras, sob a égide do Ano Brasil-Alemanha da Ciência, Tecnologia e Inovação 2010/11, já comecaram a trabalhar no desenvolvimento de diferentes soluções em embalagens para a indústria alimentícia, assim como suas aplicações técnicas. A iniciativa inclui o Instituto Fraunhofer IVV para Engenharia e Processamento de Embalagens da Alemanha, o ITENE - Instituto Tecnológico de Embalagem, Transporte e Logística da Espanha e o ITERG - Institut des Corps Gras da França. Da parte brasileira, participam o SENAI CIMATE, uma organização de pesquisa no campo dos polímeros e o ITAL – Instituto de Tecnologia de Alimentos.

A cooperação entre os parceiros da indústria europeia e brasileira deverá trabalhar no intuito de viabilizar a rápida implementação dos novos desenvolvimentos. Esses deverão utilizar apenas recursos renováveis, sem que haja disputa entre os produtores de alimentos e a conservação de florestas primárias. Atualmente, a maior parte das embalagens ainda utilizam películas de combustíveis fósseis, nas quais camadas de polímeros dificilmente podem ser separadas em razão da sua aplicação, limitando as possibilidades de reciclagem do produto.

A matéria prima selecionada e já utilizada no Brasil ainda não é utilizada em larga escala, apesar de oferecer grande potencial no que diz respeito aos recursos biogênicos. No entanto, isso deve mudar, pois através da utilização desses recursos não apenas se abre um novo canal de comércio para o país, como também viabiliza-se na indústria de embalagens um material com grande disponibilidade. Até o momento o acesso a materiais de origem biológica é um dos maiores problemas para o uso em larga escala.

No final do ano passado, uma delegação do Fraunhofer IVV visitou o ITAL em Campinas e o SENAI CIMATEC em Salvador, no intuito de explorar a cooperação nas áreas de produção e modificação de matéria prima vegetal, assim como o processamento de seus sistemas de embalagem. Os pesquisadores também discutiram uma subsequente caracterização dos sistemas. A viagem foi o primeiro passo para o aprofundamento da cooperação entre os institutos de pesquisa. No entanto, vale ressaltar que já existe uma proposta de financiamento de um projeto da União Europeia para o desenvolvimento de sistemas sustentáveis de embalagens.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Inauguração do Parque da Ciência, amanhã, 22/01/2011 às 9h00


A Cidade Tiradentes tem atualmente, dois parques no bairro, sendo eles: Parque da Consciência Negra, com 130,135 m² e o Parque Vila do Rodeio com 613,200 m², ambos com grande parte de sua flora, remanescente da mata atlântica. Amanhã, às 9h00 do dia 22 de janeiro, ganhará o terceiro parque.

O Parque da Ciência está localizado na Rua Argote s/n, na altura do nº 1400 da Avenida dos Têxteis, onde fica seu portão principal. Agora, os moradores do bairro poderão contar com mais 177,531 m² de área verde para o lazer. Boa parte de sua flora é de mata atlântica preservada.


fonte dos dados: www.prefeitura.sp.gov.br

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)

A implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), sancionada em agosto e ainda sem regulamentação, terá como grandes desafios a gestão compartilhada, o prazo para substituição de lixões por aterros sanitários e a ampliação e melhoria da produtividade da coleta seletiva. As metas foram listadas nesta segunda pelo secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Silvano Silvério.

O secretário executivo do Ministério do Meio Ambiente, José Machado, disse que a regulamentação da PNRS – que tinha prazo de 90 dias, contados a partir de 2 de agosto – será concluída até o fim deste governo e assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ministério já tem uma minuta do decreto e está discutindo o texto no governo e com entidades do setor de gestão de resíduos.

A lei prevê a responsabilidade compartilhada na gestão dos resíduos sólidos e proíbe a manutenção de lixões em todo o país. Segundo Silvério, estados e municípios terão até agosto de 2011 para elaboração de planos de gestão de resíduos. Até 2015 o país terá que ter eliminado os lixões.

“O esforço inicial é para garantir a implementação de aterros. A lei dá quatro anos de prazo máximo para adequação de aterros e fim dos lixões”, disse o secretário durante apresentação no seminário Regulação e Gestão de Serviços Públicos de Manejo de Resíduos Sólidos: Aproveitamento Energético do Metano de Aterros Sanitários.
 
O governo deverá estimular projetos compartilhados entre municípios e estados e iniciativas intermunicipais, que têm custo operacional reduzido, se comparados com projetos individuais. Uma das orientações, segundo Silvério, será a criação de autarquias municipais ou intermunicipais de gestão de resíduos.

fonte: http://agenciabrasil.ebc.com

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

A gente vive agradecendo...

E não poderia ser diferente!

Vocês, leitores, nos classificaram para o 2º turno do Top Blog Prêmio 2010, pois estamos no "Top 100" mais votados da categoria Sustentabilidade. E agora que estamos no 2º turno das votações, estamos novamente nas mãos de vocês. Ou melhor, nas pontas dos dedos (rs). O período de votação vai de 10/10 à 10/11 de 2010, então, galera...à partir do dia 10 (próximo domingo), metam o dedão e votem, mas, votem muuuuuito!!!

Um grande beijo no coração de todos vocês, e fiquem com a gente!


terça-feira, 31 de agosto de 2010

Notícias quentinhas, direto do QG dos Pueras

Aos verdes de plantão, estou aqui para mais uma vez anunciar que em 10 à 15 dias, estaremos inaugurando o Espaço Literário - Pueras Cultural. 

A ong sempre esteve envolvida em ações culturais de educação ambiental na Cidade Tiradentes e em pequenas e grandes feiras e eventos onde atua. Sempre tivemos como objetivo, um espaço para a manifestação artistica de nossos membros, colaboradores, simpatizantes, vizinhos e afins, para que pudessemos "unir o útil ao agradável" e misturar cultura com preservação e educação ambiental, coisas que afinal de contas, sempre tiveram tudo a ver. Pois é! Agora temos um endereço fixo na Rua Giacomo Fuoca, nº 165 - Cidade Tiradentes, SP. O projeto está em fase de conclusão e acabamento. Está ficando prontinho para ser frequentado. 

O espaço contará com palco (acústico) para shows musicais, biblioteca, e funcionará das 8h00 às 17h00 com  atividades para todas as idades como: Teatro, leitura, ensaios musicais, exposições de artistas plásticos, exposições fotográficas, entre outras atividades, inclusive as sugeridas pelos futuros frequentadores.
Das 17h00 em diante, funcionará o Bar Literário - Pueras Cultural, com classificação etária acima dos 18 anos.

Salientamos que o espaço físico está sendo elaborado de forma ambientalmente correta. Nos detalhes do teto coberto com telhas inquebráveis e anti-térmicas fabricadas a partir da reciclagem de caixinhas longa vida "Tetra Pak", sistema de captação de água de chuva, mobiliário usado reformado, até o reaproveitamento de vários materiais de acabamento como napa, tinta. Estamos desenvolvendo também, sistema de energia solar.
Bom, agora é só esperar pela inauguração. Não falta muito...fiquem ligados!!!

*OBS: Quem quizer colaborar doando livros, ou móveis usados (em bom estado), deixe um comentário!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Obrigado!

Cá estou eu novamente para agradecer as milhares de visitas dos nossos queridos leitores à este blog. Dedicamos maior parte do sucesso do blog à vocês leitores que estão por aqui diariamente nos ajudando, dando sugestões, dando suas opiniões, pesquisando nosso conteúdo. Estamos chegando na marca das 50 mil visitas, e novamente eu digo: Isso é muito importante para nós, porque nos mostra que estamos no caminho certo.

Aos nossos leitores e amigos o nosso 
MUITO OBRIGADO!!!


E aguardem detalhes, o projeto Pueras Cultural está em fase de conclusão.
Vem aí o Espaço Literário Pueras.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Fórum Biodiversidade e a Economia

fonte: http://planetasustentavel.abril.com.br

Estações da Cetesb indicam piora na qualidade do ar no estado de SP

Das 40 estações da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) responsáveis pela medição da qualidade do ar, apenas duas registravam índice bom às 18h desta segunda-feira (23). Ambas ficam no interior de São Paulo, em Araçatuba e Ribeirão Preto, a 527 e 313 km da capital paulista, respectivamente.

As outras 36 estações apresentavam qualidade do ar que variava entre regular, inadequada e má – essa última verificada na estação de Santana, na Zona Norte de São Paulo. As estações de Santo Amaro, na Zona Sul, e Itaquera, na Zona Leste, não disponibilizaram dados.

Segundo o boletim diário de qualidade do ar feito pela Cetesb nesta segunda, os altos índices de poluição pioraram por conta da “atuação de uma massa de ar quente, seco e estável, que provocou períodos de calmaria e ventos fracos durante a noite e a madrugada, inversão térmica em baixos níveis da atmosfera e, durante o dia, horas de insolação”. A situação deve permanecer a mesma na terça-feira (24).

A falta de chuvas nos últimos dias também ajuda a piorar o estado do ar paulistano. Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo, a tendência é que as temperaturas continuem elevadas – em torno de 30ºC – e não haja precipitações até o final de agosto.

Às 18h30, São Paulo já não estava mais em estado de alerta – quando a umidade do ar fica abaixo de 20% – mas continuava em estado de atenção – umidade do ar entre 20% e 30%. Às 15h, o índice chegou a 17%. Às 18h30, estava em 25%.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão para a terça (24) deve ser parecida. A máxima pode ser de 29ºC e a tendência é que os índices de umidade do ar fiquem abaixo de 30% em grande parte do estado. Com a falta de chuva, aumenta a concentração de poluição na capital paulista.

A Defesa Civil alerta ainda sobre o perigo de colocar fogo em terrenos baldios e vegetação seca “pois a baixa umidade relativa do ar pode aumentar as chances de incêndio”.

Dias anteriores – O domingo (22) também foi de bastante sol e calor. Por volta das 14h, a Defesa Civil colocou a cidade em estado de atenção depois que a umidade relativa do ar ficou abaixo dos 30%. Segundo o CGE, todas as estações mediram umidade abaixo de 30%. A taxa mais baixa registrada na cidade foi de 24%, às 14h, na Estação de Parellheiros, na Zona Sul de São Paulo. No Mirante de Santana, a estação do Inmet registrou umidade relativa de 20%, às 15h.

A mesma situação ocorreu no sábado (21), quando a Defesa Civil colocou São Paulo em estado de atenção por volta das 15h20. A umidade relativa do ar ficou abaixo dos 30%. Na sexta-feira (20), às 16h, o CGE chegou a registrar índice de umidade do ar de 15% (a mais baixa do ano), o que levou a Defesa Civil a decretar estado de alerta na capital paulista. (Fonte: G1)



Fonte: http://noticias.ambientebrasil.com.br/

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Loja Social vende artesanato para promover geração de renda

Localizada na rua Líbero Badaró, a loja comercializa artigos criados por usuários da rede de serviços socioassistenciais da Prefeitura, ajudando as pessoas a reconquistar a autonomia financeira e promovendo a inclusão social.






Na esquina da rua Líbero Badaró com a avenida São João, centro de São Paulo, uma vitrine colorida chama a atenção daqueles que passam pelo calçadão. Ponto de venda de artesanato, a Loja Social comercializa artigos criados por usuários da rede de serviços socioassistenciais da Prefeitura. Ao todo, 15 entidades sociais ligadas à Administração Municipal expõem e vendem seus produtos na Loja Social, que promove a inclusão social ao ajudar as pessoas a reconquistar a autonomia financeira.

O estabelecimento faz parte do Programa de Incentivo à Rede de Comércio Solidário, da Secretaria Municipal de Assistência Social (Smads), e tem como objetivo incentivar a geração de renda para adolescentes em serviços de proteção jurídica e social, albergados, catadores de material reciclável, deficientes físicos ou mentais, idosos, mães de adolescentes em medidas socioeducativas e mulheres vítimas de violência doméstica.
No local, os consumidores encontram itens de qualidade que vão do decorativo às utilidades domésticas. A maioria dos produtos é elaborada a partir do reaproveitamento de materiais, alguns recicláveis, e encantam quem os vê pela originalidade e qualidade do acabamento. Entre os principais produtos estão luminárias de papel, bijuterias feitas com jornal e botões, toalhas de mesa, panos de prato pintados à mão, blocos de anotação de papel reciclado e muitos outros artigos que são renovados periodicamente.

O preço de cada item é definido pelas próprias entidades sociais e o valor obtido com a venda é integralmente repassado para ser usado na compra de matérias-primas e na divisão entre os artesãos. Maria Aparecida Silva, da ONG Arte e Luz da Rua, trabalha uma vez por semana na loja e diz que participar da oficina ajuda a devolver a dignidade para as pessoas em situação de rua. “A oficina de luminárias de bagaço de cana ajuda a incluir esses indivíduos na sociedade. Aos poucos, eles aprendem uma atividade e começam a procurar outros caminhos que não o da rua e das drogas”, conta Maria Aparecida, que há sete anos se abrigou em um dos Centros de Acolhida da Prefeitura.
Capacitação profissional

Todas as ONGs que participam do Programa de Incentivo à Rede de Comércio Solidário atendem pessoas excluídas do mercado de trabalho e oferecem capacitação profissional para propiciar a autonomia financeira. No núcleo de Defesa e Convivência da Mulher, a Associação Fala Mulher oferece oficinas de patchwork e de tecelagem a mulheres vítimas de violência doméstica, em situação de vulnerabilidade social ou envolvidas com prostituição na região central de São Paulo.

Renata Felintro de Carvalho, educadora da ONG Fala Mulher, esclarece que, durante as ações em grupo, as 48 participantes trocam experiências e passam a encarar a produção das peças como uma oportunidade de mudar a realidade na qual se encontram. “A auto-estima delas muda a partir do momento em que começam a ver o resultado das oficinas. Nós incentivamos que elas multipliquem essa aptidão e não fiquem presas ao projeto. Aqui é apenas o início”, relata a educadora.
Outro trabalho interessante é o desenvolvido pela Oficina de Artes Boracea, primeira ONG fundada e administrada por ex-moradores de rua. Os produtos feitos com jornal enrolado e tingido com tinta guache fazem sucesso com os clientes e já renderam o Prêmio Planeta Casa, da revista Casa Cláudia.
Os artesãos se dividem para enrolar os canudos, tingi-los e dar forma às bijuterias, luminárias, chaveiros, entre outros produtos. “Há seis meses eu participo da Oficina de Artes Boracea. Lá eu aprendi a fazer trabalhos com material reciclável e a não desperdiçar nada. É um estudo, uma terapia. É maravilhoso. Você começa a trabalhar e descobre uma nova aptidão. Atualmente eu me considero um artesão”, afirma Mauro José Braz, hoje afiliado da Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades (Sutaco), entidade do Governo do Estado.

Em 2009, a produção dos artesãos da Loja Social esteve à venda em importantes endereços como o Conjunto Nacional, na avenida Paulista, no Clube Pinheiros e, aos sábados, na praça Benedito Calixto, em Pinheiros. Este último endereço é reconhecido pelos admiradores de artesanato como ponto de visita obrigatório. Quem tiver interesse em conhecer os produtos poderá visitar a Loja Social de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, na rua Líbero Badaró, 561 – Centro.

fonte: http://www.prefeitura.sp.gov.br

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Prefeitura apresenta ônibus movidos a diesel de cana-de-açúcar


A Prefeitura de São Paulo apresentou nesta terça-feira (20/7) os três ônibus participarão dos testes do novo diesel de cana-de-açúcar que reduz de a emissão de poluentes. O novo combustível será testado no transporte público da cidade durante seis meses.


 
 
imagem: João Luiz/Secom
 
 
 
 
O prefeito de São Paulo apresentou nesta terça-feira (20/7) os três ônibus que participarão dos testes do novo diesel de cana-de-açúcar que reduz de maneira significativa a emissão de poluentes na atmosfera. O lançamento ocorreu na garagem da Viação Santa Brígida, zona oeste da cidade, e contou com as presenças do secretário municipal de Transportes e presidente da CET e do secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente. O novo combustível será testado no transporte público da cidade durante seis meses.

"É mais uma iniciativa para melhorar a qualidade de vida na cidade de São Paulo, reduzindo a poluição do ar. Estamos agregando este novo combustível à matriz energética do transporte público, ampliando a utilização de combustível renovável da nossa frota", explicou o prefeito.

O teste é uma parceria da SPTrans com a Amyris Brasil, Mercedes-Benz do Brasil, Petrobrás Distribuidora e a Viação Santa Brígida. Durante um semestre, três veículos rodarão com 90% de diesel comercial (B5 S-50) com adição de 10% de diesel de cana, enquanto outros três ônibus circularão apenas com o combustível comum, para efeito de comparação.

"Se a mistura fosse aplicada em toda a frota haveria uma diminuição de 5% de todo o material particulado e uma diminuição de 90% de emissão de gases de efeito estufa", esclareceu o secretário o secretario do Verde e do Meio Ambiente. Ele acrescentou que a adoção de novos combustíveis faz parte de um conjunto de iniciativas da administração municipal para combater o aquecimento global, que envolve ainda investimentos na ampliação da malha metroviária e revitalização das linhas de trólebus.

"A nossa intenção é até o final da gestão termos 14% do nosso combustível renovável, ou com etanol ou com diesel de cana-de-açúcar ou com biodiesel. Ainda no ano que vem pretendemos ter 200 ônibus movidos a etanol na cidade", anunciou o prefeito.

Tecnologia avançada

O diesel que será testado é produzido a partir da fermentação do caldo de cana. A ausência de enxofre na composição química do combustível também contribui para a redução da poluição. Por utilizar leveduras e fermentadores modificados, possui propriedades semelhantes ao diesel fóssil. "É uma tecnologia bastante avançada porque possibilita que veículos a diesel funcionem com um derivado de cana-de-açúcar: é um combustível novo completamente sustentável movendo os motores já existentes nos ônibus de todas as empresas que operam na cidade", afirmou o secretário de Transportes.

Os ônibus movidos a diesel de cana operarão nas linhas 917H Terminal Pirituba - Metrô Vila Mariana (dois veículos) e 958P Jardim Nardini - Itaim Bibi. Além dos veículos movidos a diesel de cana-de-açúcar, a SPTrans está testando, desde dezembro de 2009, um ônibus movido a álcool. O veículo está operando na linha 875H Terminal Lapa - Vila Mariana.

Desde janeiro de 2009, todos os veículos da frota da cidade de São Paulo são movidos a diesel S-50 mais 5% de biodiesel. Esta mistura é menos poluente que a vendida normalmente nos postos. São Paulo é o único município do país onde toda a frota de 15 mil veículos que atendem o transporte público rodam com este tipo de combustível.
 
 
 
"Viva!"

terça-feira, 20 de julho de 2010

Obras de infra-estrutura para a Copa 2014 terão princípio de sustentabilidade

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, assinou medida provisória, nesta segunda-feira (19), que aumenta o limite de endividamento dos estados das 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 (Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo).


A solenidade de assinatura ocorreu no Palácio do Itamaraty, em Brasília.
Com a edição da MP, foi criada uma excepcionalidade para que os estados possam solicitar financiamento ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com mais facilidade. A ideia é que os recursos sirvam para viabilizar as obras de infra-estrutura, que devem seguir princípios de sustentabilidade e transformar o mundial no evento esportivo verde da década. Com o lançamento da logomarca oficial da Copa do Mundo de 2014 no último dia 8, o presidente Lula reafirmou o compromisso de imprimir a marca da sustentabilidade no mundial de futebol que será realizado no Brasil.

Para formular as políticas de viabilização da Copa Verde, o Ministério do Meio Ambiente e do Esporte já haviam assinado acordo de cooperação técnica para estabelecer a agenda de sustentabilidade ambiental - tanto para a Copa das Confederações, que acontece em 2013, quanto para a Copa do Mundo FIFA de 2014 -, com o objetivo de assegurar a incorporação da dimensão ambiental na construção dos novos empreendimentos e na reforma dos atuais, bem como a viabilização do licenciamento ambiental dos empreendimentos prioritários.
De acordo com o chefe de gabinete do MMA, Ivo Bucaresky, o grupo de trabalho dos dois ministérios está elaborando as orientações para a FIFA, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e os estados que estão fazendo os empreendimentos de como tornar a nossa copa do mundo mais verde.

"O objetivo é propor que os novos empreendimentos sigam os modelos de Green Building, utilizando as técnicas ambientais mais modernas, tanto de menor uso de material (que impacta menos no meio ambiente) quanto na utilização de energia solar, seguindo os princípios da certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), de água de reuso e outras tecnologias que tornem a estrutura ambientalmente mais correta", disse.

Para os estádios que serão reformados, está sendo preparada uma lista baseada nos critérios de LEED, sugerindo, por exemplo, a adaptação para energia solar, o uso de madeira plástica para as cadeiras que eventualmente forem substituídas e, nas grandes melhorias que incluem rede de águas e esgoto, a adoção de sistema de água de reuso ou outro mecanismo que permita economizar o recurso.

O grupo ainda trabalha em recomendações para a área de transporte e de estímulo à utilização do transporte público coletivo, buscando alternativas menos poluentes, além de campanhas para separação e reutilização de lixo, como a reciclagem. "Vamos aproveitar a Copa para fazer uma série de campanhas de educação ambiental", garantiu Bucaresky.

Matriz de responsabilidades - No evento do Itamaraty, ainda foi assinado termo aditivo à Matriz de Responsabilidades da Copa de 2014, que prevê investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), entre 2011 e 2014, da ordem de R$ 5,5 bilhões para 13 aeroportos, nas 12 cidades-sede.

Os recursos previstos para os portos são de R$ 740,7 milhões. O valor é destinado à revitalização dos terminais portuários de Salvador (BA), Recife (PE), Natal (RN), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Rio de Janeiro (RJ) e Santos (SP). Os portos terão um papel importante no turismo porque permitirão aos cruzeiros atracar nessas cidades para servir de leitos temporários no período da Copa do Mundo no Brasil.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Se até um cãozinho Pug consegue, por que você não?

Em publicações anteriores, comentei várias vezes sobre pequenos hábitos cotidianos que fazem a diferença de uma maneira positiva ou negativa na nossa vida e na vida do planeta.
Na publicação de hoje, vou falar novamente desse assunto. 
Você deve estar se perguntado: -"Por que tanta insistência?"
Eu respondo: -"Porque a insistência nos leva a conseguir o que queremos."
Mas hoje quem vai ensinar vocês, como ser mais verde, é este Pug lindinho e super esperto.

Vejam só:

E agora? Ficou com vergonha de ver que até um cãozinho fofinho como este Pug consegue ter mais atitude verde do que você?

NÃO É TARDE PARA VOCÊ MUDAR SEUS HÁBITOS.

MAS O PLANETA NÃO PODE MAIS ESPERAR!!!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Plantas em escritórios servem como filtros naturais de ar

Hoje em dia é muito comum ver funcionários de um mesmo escritório “culparem” o uso do ar-condicionado por problemas respiratórios e doenças crônicas. Porém, muitas vezes isso acontece por causa das longas horas que este funcionário passa em um ambiente fechado, que pode sofrer com a chamada “síndrome do prédio doente”.

Esta síndrome acontece em locais que possuem ar-condicionado sem manutenção e um grande número de máquinas, fazendo com que o ozônio acumulado no escritório fique preso no ambiente. De acordo com pesquisa realizada pela Universidade do Estado da Pensilvânia, ambientes fechados que contam com vasos de plantas, apresentam uma concentração mais baixa de poluentes.

Para Carla Toledo, designer floral e proprietária da Reserva Floral, um dos benefícios do uso de plantas no ambiente de trabalho é a possibilidade de ter um filtro natural de ar, capaz de filtrar as impurezas existentes em um ambiente sem ventilação natural. “Por serem locais fechados, os escritórios possuem como grande vilão os poluentes liberados por aparelhos eletrônicos como ar-condicionado, impressoras e copiadoras. As plantas domésticas são ideais para estes locais, pois são purificadores naturais e retiram toda a poluição do ambiente”, afirma Carla Toledo.

A designer conta que muitas empresas têm investido num serviço chamado Assinatura Floral, que apresentou um crescimento de 20%, em relação ao ano passado, e que garante a entrega de arranjos e flores frescas semanalmente nas empresas.
Além de purificar o ambiente, as flores e plantas também podem melhorar o desempenho no trabalho. Um ambiente agradável pode fazer toda a diferença na dedicação de um profissional. Durante pesquisa realizada pela Universidade do Texas, homens e mulheres demonstraram mais pensamento criativo e apresentaram soluções mais originais para os problemas propostos no ambiente com flores e plantas.
 
Fonte: JB Online

contador gratuito de visitas